POR QUE DEUS NOS AMA?

1 – Parece que não há no indivíduo nada digno que mereça o amor de Deus, pois se depois de tanta transgressão, a humanidade tornou-se impura, má e imperfeita, por que ou o que nos torna ainda passíveis do amor Divino?

2 – No mais, se amamos pelos meritórios do ser amado, e mérito implica merecimento, Deus não poderia amar aquilo que por ausência de bondade, virtude e perfeição desmerece ao seu santíssimo amor.

3 – Soma-se, que sendo Deus amor e bondade em essência, é certo que ele abomina o pecado, tanto quanto abomina o pecador que ao pecado voluntariamente adere, como diz a Escritura, “[…] VÓS NÃO SOU UM DEUS A QUEM AGRADE O MAL, O MAU NÃO PODERIA MORAR JUNTO DE VÓS; DETESTAIS A TODOS QUE PRATICAM O MAL. (Salmo 5. 5, 6 e 7)

4 – Além disso, todo aquele que ama, busca se unir ao ser amado, do que se conclui que não há nada na humanidade corrompida que crie em Deus o desejo de se unir a ela, como diz a Escritura “[…] LONGE DO TODO PODEROSO ESTÁ TODA INIQUIDADE, (Jó 34, 10).

MAS EM CONTRÁRIO, diz a Escritura, “[…] AMASTES TODAS AS COISAS QUE CRIATES COM A TUA PALAVRA. (Sabedoria 9, 1)

SOLUÇÃO: Sendo Deus, o AMOR PERSONIFICADO, admitamos que de modo geral ele ama toda humanidade. O ato de amar pressupõe o máximo bem-querer ao ser amado, e o fato do Criador ter revelado que nos deseja eternamente ao seu lado em estado de felicidade, sem tristezas, dores, perdas, morte, prantos ou ódio, usufruindo da plenitude de sua beleza e bondade já provaria esse Amor. Todo amor implica união com o ser amado, e tal é o princípio basilar da nossa comunhão com Deus1. Ensinou São Francisco de Sales, que […] se houvesse um infinito amor com a qual não nos uníssemos, não amaríamos porque o amor perfeito e pleno une aqueles que se amam2. ” Ninguém deseja a infelicidade de quem ama, pois o verdadeiro Amor “[…] visa o bem geral e absoluto.3” Para demonstrar esse Amor é que Deus, regredindo à nossa condição, ofertou sua própria vida para que o caminho da Bem -Aventurança eterna, outrora fechado por nossas transgressões, nos pudesse ser reaberto. Ofertou-se em sacrifício desonroso na cruz porque a virtude do amor é renunciar, dar-se completamente em favor do ser amado, como na escassez de comida, quando um pai deixa de comer para que seus filhos possam se alimentar, no que então se responde as questões lançadas.

1 – Deus ama o ser humano porque neste repousa a sua imagem. (Gn 5. 1) O amor incondicional de Deus não pode estar dissociado do seu reflexo, que em nós cultivamos pela fé, mediante a santidade e a caridade. Todo amor se expressa em beleza, posto ser bela toda imagem de Deus: “O escultor desbasta a imagem com o cinzel, mede-a com o compasso; DÁ-LHE FORMA HUMANA, FÁ-LA UM BELO TIPO DE HOMEM, para colocá-la numa casa. (Isaías 44, 13)” Em sua essência puramente animal, nenhum homem é bom por sua própria bondade. Deus ama no ser humano, a imagem que ele vê de si mesmo. Compreendendo que Deus ama exclusivamente a sua imagem que está em nós, quanto mais nítida e reluzente essa imagem, mais intenso será esse amor, do qual é dito pelo Apóstolo, para sermos imitação de Cristo, que é a imagem perfeita do Pai,4 para que o amor de Deus nos alcance de modo mais ativo e profundo.

2 – Sendo Deus, o Amor personificado, de certo que NÃO podemos encontrar amor e bondade fora dele. Apenas o Amor tem mérito suficiente para amar e ser amado, razão porque, só é possível amarmos em Deus, e sermos amados nele. Só podemos amar de verdade se estivermos em Deus, e só poderemos ser amados se Deus estiver em nós, porquanto em todo universo só Deus é verdadeiramente digno de amar e ser amado. Como disse Boécio: “Só Deus é amor e bondade em essência, sendo que os demais seres são bons por participação nele.5” E também Santo Tomás de Aquino: “A bondade ou o mérito da criatura não é a essência mesma, mas algo acrescentado.6” E quanto mais Deus vê em nós sua imagem nitidamente refletiva, mais ele amo o que vê, e mais meritório é o seu amor, e desse modo, somos por ele mais amados.

3 – A busca pela santidade faz com que a imagem de Deus em cada indivíduo se mostre mais visível. Se o pecado nos separa de Deus, ofuscando em nós a sua imagem Divina, o antídoto contra o pecado é a santificação que nos restabelece o reflexo de Deus. O pecado nos esconde do ser Divino: “Minha carne se cobre de podridão e de imundície. (Jó 7, 5)” O caminho da santidade, que traz o abandono e a detestação ao pecado, deixa Deus mais evidente naquele que alcançou nesta vida mais um degrau da perfeição: “Ninguém acende uma lâmpada e a cobre com um vaso ou a põe debaixo da cama; mas a põe sobre um castiçal, para iluminar os que entram. (São Lucas 8, 16) “A luz resplandece para o justo, e a alegria é concedida ao homem de coração reto. (Salmos 96, 11) “Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai Celeste é perfeito. ” (São Mateus 5, 48)

4 – Os que são semelhantes, por afinidade, se unem de modo mais perfeito, razão porque, de todos os seres criados, só no ser humano Deus colocou sua imagem, e se uniu a ele por meio de Cristo, na comunhão entre o Divino e o humano. Por isso, apesar de Deus amar todas as coisas, ele ama mais o ser humano no qual se vê, e dentre estes, mais se assemelha a Deus o fiel que o infiel; o mártir que o egoísta; o caridoso que o ganancioso; o honesto que o corrupto; o inocente que o perverso; o humilde que o soberbo; o verdadeiro que o falso; o justo que o injusto; a criança que o adulto; o santo que o pecador:Senhor está longe dos ímpios, mas ouve a oração dos justos. (Provérbios 15.29)


1 “Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. (I Coríntios 1, 9)”

2 Amor de Deus, LX cap. X I Io IV. p. 19

3 Suma Teológica Livro I, Q 5º DO BEM GERAL.

4 “Ele é a imagem de Deus invisível, o Primogênito de toda a Criação. (Colossenses 1, 15)”

5 Boécio, anos 477-500. The Exposition of the on the Hebdomads of Boethius.

6 Santo Tomás de Aquino. Suma Teológica. Livro I, Q 6. art. 3° DA BONDADE DE DEUS.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial