CONVINHA CRISTO DAR A PEDRO AS CHAVES CELESTIAIS?

1 – Aparentemente não convinha Cristo dar a Pedro as Chaves do Reino do céu, pois o que é de Deus não pode ser dado aos homens, como dito, “[…] dai a César o que é de César; e a Deus o que é de Deus.1

2 – Além disso, o Reino celeste é simbolizado no reino terreno de Davi, do que se conclui que só Cristo, o herdeiro2 da Casa e da Família Real de Davi poderia ter as Chaves do Reino, como diz a Escritura, […] “o Santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, que abre e ninguém pode fechar; que fecha e ninguém pode abrir.” (Apocalipse 3, 7); pois “[…] do fruto do teu ventre porei no teu trono (Salmo 132, 1); vez que “[…] Jesus Cristo, nosso Senhor, descende de DAVI, segundo a carne, “(Romanos 1. 3)

3 – No mais, se todo reino pertence ao soberano, o Reino do céu pertence a Deus que nele reina, e que assim tem o poder e autoridade para abri-lo ou fechá-lo, segundo seu justo juízo.

4 – Soma-se que Cristo é a figura da porta que nos abre para o céu, como diz dele o salmista, “[…] esta é a Porta do Senhor, só os justos por ela podem passar. (Salmo 177. 20) do se conclui que somente a porta convém ter e guardar suas próprias chaves.

MAS EM CONTRÁRIO, Jesus disse: “[…] TU ES PEDRO. EU TE DAREI AS CHAVES DO REINO DOS CÉUS: TUDO O QUE LIGARES NA TERRA SERÁ LIGADO NOS CÉUS, E TUDO QUE DESLIGARES NA TERRA SERÁ DESLIGADO NOS CÉUS.” (São Mateus 18. 18-19)

SOLUÇÃO: Se em Adão, primeiro homem da criação, a humanidade pecadora foi o cadeado que nos fechou acesso ao céu, aprisionando seus descendentes nas teias da morte e da imperfeição, a humanidade santa e redentora do Cristo, primeiro homem a ressuscitar para eternidade3, foi a chave que desatou e abriu esse cadeado, nos dando novamente acesso à vida e felicidade eterna existentes apenas no Reino de Deus. A Chave, portanto, é a humanidade Mística de Cristo, seu Corpo, no qual ele sofreu a paixão na cruz que nos permitiu isentarmos, e nos redimirmos da culpa e do débito que possuímos. Essa humanidade de Cristo, a qual chamamos CORPO, é o que nos reúne, religa, reconcilia com Deus, permitindo retorno ao seu Reino, nossa casa paterna. Sendo as Chaves, o Corpo de Cristo, e sendo a Igreja, o Corpo Místico e Sobrenatural de Cristo na terra, cabe a Igreja a autoridade do uso e da guarda das Chaves, 4 como está escrito:” Cristo é o chefe da IGREJA, SEU CORPO, da qual ele é o Salvador.” (Efésios 5, 23) “Ele é a CABEÇA DO CORPO, da IGREJA. (Colossenses 1, 18)” Do corpo humano de Cristo, morto na cruz, emararam as realidades da água batismal e do sangue eucarístico,5 necessárias a salvação, realidades estas, nas quais a Igreja Católica fora instituída, e se tornou delas a sua única e exclusiva guardiã, como ensinou o Apóstolo,” […] é A IGREJA de Deus vivo, COLUNA E SUSTENTÁCULO DA VERDADE.” (I Timóteo 3, 15) “GUARDA O PRECIOSO DEPÓSITO, pela virtude do Espírito Santo que habita em nós.” (II Timóteo 1, 14); “[…] ele vos reconciliou PELA MORTE DE SEU CORPO HUMANO, para que vos possais apresentar santos, imaculados, irrepreensíveis aos olhos do Pai.” (Colossenses 1, 22) Por isso, dentre os santos Apóstolos, “[…] as perguntas de Cristo eram respondidas apenas por Pedro, pois ele representa a voz da Igreja, (São Cipriano de Cartago, + ano 258. Epístola a Cornélio 54a, VII); e “[…] por causa de sua representação da Igreja que ele conduziu, somente Pedro mereceu escutar – Eu te darei as chaves do Reino dos Céus. (Santo Agostinho, anos 354-430, Sermão 295, 2), no que se responde as questões acima.

1 – Jesus veio ao mundo com a principal missão de devolver para a humanidade, aquilo que ela havia perdido, ou seja, a salvação, a vida eterna e o reino de Deus. Ora, nem a salvação, nem a vida eterna e nem o reino de Deus pertencem a humanidade, senão quando dados por Deus. Convém ao Rei ter os seus súditos. Assim, ao Reino de Deus convém ser dado aos santos, como ao reino de César, governado pelo pecado e infidelidade, convém ser dado aos inimigos de Deus. Portanto, se a humanidade de Cristo nos foi dada para podermos estar em teu reino, a humanidade Mística de Cristo, chamada Igreja, santificada na sua paixão, também haveria de ser dada e confiada as Chaves desse reino. Por isso, Jesus tirou o Reino de Deus dos judeus, que se tornaram amigos de César, e o entregou ao povo gentil de todas as nacionalidades, pelas quais ele formou a sua Igreja, vinda da sucessão apostólica6: “Minha Casa é uma casa de oração (Is 56,7), MAS VÓS FIZESTES DELA UM COVIL DE LADRÕES!” (Jeremias 7,11) Jesus acrescentou: “Nunca lestes nas Escrituras: A pedra rejeitada pelos construtores tornou-se a pedra angular?” (Salmo 117,22) “Por isso, vos digo: SERÁ TIRADO DE VÓS O REINO DE DEUS, E SERÁ DADO A UM POVO QUE PRODUZIRÁ OS FRUTOS DELE.” (São Mateus 21. 13, 42 e 43)

2 – Todo guardião deve ter as chaves daquilo que guarda sob as ordens de outro. Assim são os sacerdotes que descendem do Primado de Pedro, e neste são ordenados7, aos quais são confiadas, em nome de Cristo, as Chaves dos sinais das dores Divinas suportadas por ele na cruz, das quais manou a água que nos abre o acesso a purificação e a confissão no Batismo, e o sangue que nos abre o acesso a remissão dos pecados e a penitência na Eucaristia8. Se no reino de Davi havia a figura do Mordomo do Palácio Real, o encarregado de guardar as chaves do Palácio até que o rei retornasse, como disse o profeta, “[…] naquele dia chamarei MEU SERVO ELIACIM, filho de Helcias. Revesti-lo-ei com a tua túnica, cingi-lo ei com o teu cinto, e lhe transferirei os teus poderes; ele será um PAI para os habitantes de Jerusalém e para a casa de Judá. Porei sobre seus ombros A CHAVE DA CASA DE DAVI; SE ELE ABRIR, NINGUÉM FECHARÁ, SE FECHAR, NINGUÉM ABRIRÁ.” (Isaías 20. 20- 24); convinha que também no Reino de Cristo houvesse a figura do Mordomo da Casa Real, o encarregado de guardar as chaves do Palácio Celestial até que o Rei Celeste retorne, do que então, declarou Cristo: TU ÉS PEDRO, e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja. Eu TE DAREI AS CHAVES DO REINO DOS CÉUS: TUDO O QUE LIGARES NA TERRA SERÁ LIGADO NOS CÉUS, E TUDO O QUE DESLIGARES NA TERRA SERÁ DESLIGADO NOS CÉUS.” (São Mateus 16. 18 e 19) Logo, o mordomo do Palácio do reino terreno de Davi, era a figura profética de São Pedro, o Mordomo da Igreja, a Casa do Reino Celestial de Cristo.

3 – Num corpo, as funções vitais sempre emanam do maior para o menor, da cabeça para os membros (I Coríntios 12.12), sendo que estes membros não podem agir por força ou vontade própria, senão quando ordenado pela cabeça. Assim são os ministros das Chaves, que não as detém em nome próprio, nem lhes é permitido agir por elas por vontade própria, senão, sob a ordem daquele em nome do qual as detém. Assim, através das Chaves dadas a Pedro, foi dado também aos apóstolos o poder de perdoar os pecados em confissão, de cura, de exorcismo e dos sacramentos, que são atos exclusivos do que detém as chaves entre o céu e a terra: “Jesus reuniu seus doze discípulos. Conferiu-lhes o poder de expulsar os espíritos imundos e de curar todo mal e toda enfermidade” (Mateus 10, 1)“Em verdade vos digo: tudo o que ligardes sobre a terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes sobre a terra será também desligado no céu.” (São Mateus 18, 18)”Que os homens nos conside­rem, pois, como simples ope­rários de Cristo e administradores dos mistérios de Deus.” (I Coríntios 4, 1)

4- Muitas vezes, Deus se fez o nosso professor por símbolos que cunhou para nos revelar e comunicar seu propósito. Num desses símbolos, Cristo, além do PASTOR DAS OVELHAS, também se compara a PORTA: “EU SOU A PORTA. Se alguém entrar por mim será salvo; tanto entrará como sairá e encontrará pastagem.” (São João 10, 9)“ESTA É A PORTA DO SENHOR: só os justos por ela podem passar. (Salmos 117, 20) “ESTREITA, porém, É A PORTA e apertado o caminho da vida e raros são os que o encontram.” (São Mateus 7, 14)” E toda porta, como acesso que interliga uma dimensão à outra, só abre ou fecha pelo comando das CHAVES. Mas as chaves que guardam valioso tesouro, não ficam expostas na porta, à mercê daqueles que levianamente e sem dignidade possam se apossar e profanar tal tesouro, mas aos cuidados e confiança daquele a quem o Dono do tesouro incumbiu de zelar por elas. Assim, ao tesouro celestial, cabe a São Pedro, o Porteiro Celestial, a guarda das chaves que abrem a Porta onde está depositado:

[…] quem entra pela Porta é o Pastor das Ovelhas. A ESTE O PORTEIRO ABRE,” (São João 10. 2 e 3)”


1 Mt 22, 21

2 Mt 9,5

3 “Ele é a imagem de Deus invisível, o Primogênito de toda a Criação.”Ele é o Princípio, o primogênito dentre os mortos e por isso tem o primeiro lugar em todas as coisas.” (Colossenses 1, 15 e 18)”

4 AQUINO. Santo Tomás. Questão 17. Art. I. Livro Suplemento.

5 Ei-lo, Jesus Cristo, aquele que veio pela água e pelo sangue; não só pela água, mas pela água e pelo sangue. E o Espírito é quem dá tes­temunho dele, porque o Espírito é a verdade. (I São João 5, 6)”

6 Os Apóstolos e São Pedro, ao morrerem, deixaram aos seus sucessores o Poder das Chaves, pelo sacramento da Ordem:(Atos 1: 25-26). Na Sagrada Escritura é relatada a ordenação de diáconos (Atos 6: 1-6), são mencionados os presbíteros (padres) (1 Timóteo 5: 17) e bispos (Atos dos Apóstolos, 20: 28 e Filipenses 1: 1). Poder conferido aos Apóstolos. transferiram aos bispos, estes transmitiram aos seus sucessores e a outros padres. Assim, cada bispo tem como traçar sua linha sucessória até chegar aos Apóstolos. Sobre isso, disse Santo Agostinho, em sua obra “Doutrina Cristã”: CAPÍTULO 18 – “As chaves entregues à Igreja 17. Cristo deu as chaves à sua Igreja, em virtude das quais tudo o que ela ligar na terra será ligado nos céus, e o que desligar na terra será desligado nos céus (Mt 16,19). É o mesmo que dizer: quem não crer que a Igreja lhe perdoa os pecados, a esse não lhe serão perdoados os pecados. Mas, ao contrário, quem crer, após se ter corrigido e afastado deles, ocupará lugar no seio da mesma Igreja. É por essa fé e correção que será salvo. Todo homem que pensa ser impossível seus pecados lhe serem perdoados, com o seu desespero torna-se pior do que era antes. Seria como se ao desconfiar do fruto de sua conversão não lhe restasse recurso melhor do que se fixar no mal”.

7 Conforme iam passando pelas cidades, iam também entregando, para que observassem, as decisões tomadas pelos Apóstolos e presbíteros em Jerusalém” (Atos 16,4). “Designavam presbíteros em cada igreja e após fazer oração e jejuns, os encomendavam ao Senhor em quem haviam crido” (Atos 14,23).

8 “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. 55.Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida. 56.Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.” (Jo 6. 54-56)

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial