CONVINHA CRISTO UMA MÃE SEMPRE VIRGEM?

1 – Parece que não convinha Maria permanecer sempre virgem, pois a virgindade se opõe a maternidade, sendo condições incompatíveis entre si.

2 – No mais, é natural do matrimônio os filhos, e assim não haveria mal em conceber filhos de José, seu legítimo esposo.

3 – Além disso, é dito nas Escrituras: – crescei e multiplicai;1 função que incumbe as mulheres precipuamente, enquanto geratrizes de toda vida humana.

4 – Ademais, se Maria permaneceu sempre virgem, quem seria Tiago, José, Judas e Simão, citados nos Evangelhos como “irmãos2 de Jesus?

5 – Soma-se, que José não a conheceu3 até dar à luz ao Cristo, do se que supõe que depois ele a tenha conhecido maritalmente.

6 – Por fim, Jesus é primogênito de Maria,4 do que se conclui ser o primeiro de uma prole, o que faz supor que Maria e José tiveram filhos.

MAS EM CONTRÁRIO, profetizou-se sobre as dores de Maria aos pés da cruz:5 “Ó FILHA DE MEU POVO, veste o saco, revolve-te nas cinzas. COBRE-TE DE LUTO COMO SE FORA POR UM FILHO ÚNICO, e ecoem teus amargos gemidos, porquanto vai cair de repente sobre nós o devastador. (Jeremias 6, 26)”

SOLUÇÃO: As figuras de Eva, a virgem imaculada que se corrompeu, e Maria, a virgem imaculada que se manteve fiel a Deus estão entrelaçadas. Deus santificou o útero de Eva, a mulher concebida sem pecado, fazendo dele seu santuário no qual ela e seu esposo gerariam filhos sem mácula, os quais povoariam o paraíso, e honrariam ao Criador eternamente. Por isso, “[…] Deus os abençoou, e disse-lhes: multiplicai-vos, enchei a terra. ” (Gênesis 1. 28) Mas Eva instituiu laço de amizade com a maldade que corromperia a humanidade que dela viria. Por não confiar em Deus, Eva corrompeu a si própria: “[…] a serpente disse: Deus vos proibiu comer do fruto de toda árvore do jardim? A mulher respondeu: podemos comer do fruto das árvores, mas do fruto da árvore do meio do jardim Deus disse para não comer, nem tocar para que não morramos. – Vós não morrereis! Disse a serpente. Deus sabe que no dia em que dele comerdes sereis como deuses. ” (Gênesis 3, 1.5) Assim, em oposto aos santos de Deus, Eva concebeu os frutos da serpente na humanidade pecadora que gerou com Adão, profanando o santuário em seu ventre: “[…] ESSE MANJAR SE CORROMPERÁ EM SEU VENTRE, E NAS ENTRANHAS SERÁ COMO VENENO DE COBRA.” (Jó 20.14) E então, “[…] NASCI NA CULPA, MINHA MÃE ME CONCEBEU NO PECADO.” (Salmo 50, 3). Se o pecado foi contra o ventre, a justiça também seria, do que contra a serpente se decretou: “[…] maldita serás, e sobre o teu ventre rastejarás ” (Gênesis 3. 14), e em relação a mulher: “[…] multiplicarei os sofrimentos de teu parto; darás à luz com dores, ” (Gênesis 3.16) Mas se por uma virgem imaculada a serpente introduziu o pecado, por outra Deus fez surgir a salvação. Se pelo útero de EVA, o santuário manchado, originou-se a humanidade pecadora, o ventre da Santa Virgem, o novo santuário, geraria apenas uma humanidade santa e incorrupta, o próprio Deus feito homem: “Cristo não entrou num santuário feito por mãos humanas, ” (Hebreus 9.24) “Se por uma virgem caiu o gênero humano, assim veio também a salvação por outra. Como Eva foi seduzida pela fala de um anjo e se afastou de Deus, Maria recebeu a boa nova da boca de um anjo e trouxe Deus em seu ventre. Uma deixou-se seduzir de modo a desobedecer, mas a outra se deixou persuadir a obedecer, para que da virgem Eva, a Virgem Maria se tornasse advogada. O gênero humano, que fora submetido à morte por uma virgem, recebeu o libertador por meio de outra, e a astúcia da serpente vencida pela simplicidade da pomba. (IRINEU, Santo. Contra as Heresias. V, 19,1, p. 569 – Contra as Heresias, 1. Livro III, seção III, ano 130-220), no que se responde as questões.

1—Dentre todas as mulheres, apenas a Santíssima obteve a condição de MÃE e CASTA. Nela, a castidade não impediu a fecundidade, nem a fecundidade destruiu a virgindade. Cristo não veio ao mundo trazer ruptura a nenhuma carne, pois como adentrou num cômodo sem derrubar paredes, assim adentrou ao mundo sem romper as entranhas da sua mãe: “ESTANDO TRANCADAS AS PORTAS, VEIO JESUS, PÔS-SE NO MEIO DELES.6 (São João 20. 26) Destarte, “[…] ela consagrou sua virgindade a Deus, enquanto ainda ignorava de quem havia sido chamada a ser mãe. (AGOSTINHO. Santo. Dos Bens do Matrimônio e da Viuvez, n. 4, p. 104). Por isso, na maternidade Divina, virgindade e fecundidade coexistiram, e são santificadas, unindo-se num único elemento.

2—Se o pecado foi gerado no útero da primeira virgem imaculada, Deus preservou o útero da segunda para gerar somente santidade e salvação na Pessoa do Cristo, para que fosse restaurado o seu santuário outrora nodoado pela ilicitude de Eva. Gerando Maria, os filhos de José, geraria ela filhos pecadores7, contaminando o útero santo, novamente manchando o santuário, fazendo a segunda Virgem regredir à condição da primeira, como mãe de uma humanidade pecadora. Apenas o Filho de Deus seria concebido no santuário sagrado de seu ventre: “Ele reconduziu-me ao pórtico exterior do SANTUÁRIO, que fica fronteiro ao oriente, o qual se achava fechado. O SENHOR DISSE-ME: ESTE PÓRTICO FICARÁ FECHADO. NINGUÉM O ABRIRÁ, NINGUÉM AÍ PASSARÁ, PORQUE O SENHOR, DEUS DE ISRAEL, AÍ PASSOU, ELE PERMANECERÁ FECHADO. ” (Ezequiel 44. 1-3) “Quem é esse PORTÃO FECHADO se não for MARIA, a porta através do qual Cristo entrou nesse mundo? (Santo Ambrósio. Da Virgindade Perpétua, 8:52 – ano + 397) “Porque Eva, quando ainda era virgem e incorrupta, concebendo na palavra da serpente, DEU À LUZ A DESOBEDIÊNCIA E MORTE. Mas a Virgem e incorrupta MARIA CONCEBEU POR FÉ E ALEGRIA quando o anjo Gabriel lhe deu a boa notícia de que o Espírito do Senhor viria sobre ela.” (Diálogo com Trifão, 701ss. São Justino, mártir, anos 163)

3— A maternidade sacerdotal é superior a carnal. Por causa de CRISTO, Maria se torna a Matriarca da humanidade restaurada, que ressuscitará, renascendo na carne e no sangue do seu Filho8, com ele formando um só Corpo: “[…] nós, embora muitos, FORMAMOS UM SÓ CORPO EM CRISTO, E CADA UM DE NÓS É MEMBRO UM DO OUTRO.” (Romanos 4, 5)” Maria é mãe do Corpo de Cristo completo, não apenas da cabeça, mas da cabeça e membros, sendo por isso Mãe da Igreja que é o CORPO DE CRISTO9 (Efésios 5. 23), tornando-se Mãe de incontáveis filhos a partir do Apóstolo João, seu primeiro filho espiritual, maternidade sagrada e extraordinariamente instituída de viva voz pelo próprio Cristo: “Maria NÃO TINHA OUTRO FILHO, mas Jesus diz a sua Mãe: MULHER, EIS AÍ TEU FILHO.” (Orígenes, anos 185-253, Comentários ao Evangelho de São João, Livro I par.6)”

4 Os que são apresentados nos Evangelhos como “irmãos” de Jesus, assim chamados Tiago, José, Judas e Simão, são também apresentados como filhos de pais que não são nem a Virgem, nem José. Era comum na cultura hebraica chamar de “irmãos” não apenas os consanguíneos, mas os parentes próximos como tios, sobrinhos, primos e também os amigos íntimos. A história hebraica está repleta dessas situações, como Abraão que chamava Lot de irmão;10 e Labão assim também chamava Jacó, apesar de não serem irmãos sanguíneos. Tiago e José, ditos “irmãos” de Cristo, são na verdade os filhos da irmã de Maria, também chamada Maria, ou Maria de Cléofas, também conhecido como Alfeu: “Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, A IRMÃ DE SUA MÃE, MARIA, MULHER DE CLÉOFAS, (São João 19. 24); “Entre elas se achavam Maria Madalena E MARIA, MÃE DE TIAGO E DE JOSÉ, e a mãe dos filhos de Zebedeu. (São Mateus 27. 56) Tiago, irmão de José, trata-se de São Tiago menor, um dos Apóstolos de Jesus, que apesar de no início não crer em Cristo, posteriormente se converteu junto com um de seus primos (irmãos), chamado Judas ou Tadeu: “Achavam-se ali também umas mulheres, observando de longe, entre as quais Maria Madalena, MARIA, MÃE DE TIAGO, O MENOR, E DE JOSÉ, (São Marcos 15. 40); “DOS OUTROS APÓSTOLOS NÃO VI MAIS NENHUM, A NÃO SER TIAGO, IRMÃO DO SENHOR. (Gálatas 1, 19)” “JUDAS, SERVO DE JESUS CRISTO E IRMÃO DE TIAGO, aos eleitos bem-amados em Deus Pai e reservados para Jesus Cristo.” (São Judas 1. 1) Sobre Simão não há registros históricos ou eclesiástico por ter sido um parente de Cristo sem muitas expressão social. É bom ressaltar também que os santos Apóstolos se tratavam como irmãos, costume comum entre todos os cristãos: “COMUNICAI-O A TIAGO E AOS IRMÃOS”. (Atos 12, 17)”

5 — O verbo conhecer no grego (ginósckó) só significa conhecimento natural ou carnal, quando usado para descrever a descendência gerada entre marido e mulher, como por exemplo: “Adão conheceu Eva, sua mulher, E ELA CONCEBEU E DEU À LUZ CAIM, (Gênesis 1. 4); “Caim conheceu sua mulher, e ELA CONCEBEU E DEU À LUZ A ENOC, (Gênesis 4. 17); “Adão conheceu outra vez sua mulher, E ESTA DEU À LUZ A SET, (Gênesis 4.25). ” Mas em relação a Maria e José não há menção de filhos: “E NÃO A CONHECEU ATÉ QUE DEU A LUZ SEU FILHO, O PRIMOGÊNITO; E PÔS-LHE O NOME JESUS. (São Mateus 1, 25). ” Tendo o verbo conhecer outros usos, como compreender, entender, aprender, obviamente não é de conhecimento natural que as letras sagradas falam em relação a José e Maria, mas de um aprendizado sobrenatural, superior, virtuoso, revelador e extraordinário que desnuda a alma sem precisar desnudar o corpo, conhecimento este que está além da natureza humana: “PAI JUSTO, O MUNDO NÃO TE CONHECEU, MAS EU TE CONHECI, (São João 17, 25)” E assim como Cristo conhece as maravilhas do Pai, a José foi dado perceber as maravilhas que Cristo realizou em Maria ao coabitar com ela, na compreensão da esplendor da Maternidade Sagrada, o que era necessário para elevar e confirmar a fé de José no próprio Cristo, outrora abalada pela desconfiança em Maria, tanto que ele cogitou abandoná-la em segredo por suspeita de infidelidade (Mt 1.19), conhecendo totalmente agora, aquilo que o anjo em sonho só lhe revelou parcialmente quando disse que o gerado era fruto do Espírito Santo.(Mt 1.20)

6 — Na Lei Mosaica, nem todo primogênito era filho único, mas todo filho único já era considerado primogênito.11 Não apenas o filho mais velho sucedido por irmãos, mas o que inaugurava o útero de sua mãe, e que deveria ser ofertado a Deus para ser resgatado pelo sacrifício de um animal: “Eu tomei os levitas dentre os filhos de Israel em lugar de TODO PRIMOGÊNITO, QUE ABRE O SEIO DE SUA MÃE entre todos os israelitas. (Números 3, 12)” Cristo ao nascer já recebe nas Escrituras, o Título de Primogênito: “ELA DEU À LUZ O SEU FILHO PRIMOGÊNITO, envolvendo-o com faixas,” (São Lucas 2. 7) “SERÁ DO SENHOR TODO PRIMOGÊNITO de toda criatura, homem ou animal que os israelitas lhes oferecerem; ordenarás, não obstante, QUE SE RESGATE O PRIMOGÊNITO DO HOMEM, assim como os primogênitos dos animais impuros.” (Números 18. 12) “COMPLETADOS OS OITO DIAS para ser circuncidado, ao menino foi posto o nome de Jesus, como lhe tinha chamado o anjo antes de ser concebido no seio materno. Concluídos os dias da sua purificação segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentar ao Senhor, conforme o que está escrito na Lei do Senhor: – TODO PRIMOGÊNITO DO SEXO MASCULINO será consagrado ao Senhor, e para oferecerem o sacrifício prescrito pela Lei do Senhor, um par de rolas ou DUAS POMBAS.” (São Lucas 2. 22) O Primogênito e Unigênito do Pai, deveria também ser o Primogênito e Unigênito da Mãe, para que fosse reconhecido como sendo o único, tanto no céu, quanto na terra: “Ele é a imagem de Deus invisível, o PRIMOGÊNITO de toda a Criação.” (Colossenses 1, 15) “Deus enviou SEU FILHO ÚNICO ao mundo, para que por ele vivamos. (I São João 4. 9)


1 Gn 9.7

2 “Não é este o filho do carpinteiro? Não é Maria sua mãe? Não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? (São Mateus 13, 55)”

 3 Mt 1.25

4 Lc 2.7

5 Filha de Sião é como os profetas se referiam a Virgem Maria. Sião é a montanha dos sacrifícios antigos, o que seria o monte Calvário para o sacrifício novo. Por isso, foi profetizado sobre a gravidez da Virgem: “Solta gritos de alegria, filha de Sião! Solta gritos de júbilo, ó Israel! Alegra-te e rejubila-te de todo o teu coração, filha de Jerusalém! 15.O Senhor revogou a sentença pronunciada contra ti, e afastou o teu inimigo. O rei de Israel, que é o Senhor, está no meio de ti; não conhecerás mais a desgraça. (Sofonias 3)

6 Santo Tomás de Aquino. Suma Teológica. Livro IIIa. Questão 28. Da Virgindade da Santa Maria. art. 1º.

7 Ao contrário da Virgem Maria, por causa de Cristo, São José não foi isentado do pecado original, e por isso, carregada em sua natureza adâmica a corrupção dos primeiros pais. https://igrejamilitante.com.br/index.php/se-a-mae-era-pecadora-o-filho-divino-precisou-ser-salvo/

8 “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.” (São João 6, 54)

9Cristo é o chefe da Igreja, seu corpo, da qual ele é o Salvador. (Efésios 5, 23) “

10 Lot era sobrinho de Abraão; Labão era tio e ao mesmo tempo sogro de Jacó. (Gênesis, 13. 8 e Gênesis 14.14)

11 São Jerônimo. Da Perpétua Virgindade de Maria. Cap. II, anos 347-420

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial