APOSTASIA: O DESVIO VOLUNTÁRIO DO CAMINHO DA SALVAÇÃO.

Apesar da fé ser puro um dom sobrenatural, e, portanto, Divino, é na vontade livre que Deus nos atrai à sua Graça, movendo-nos até Ele, o qual é o destino final da humanidade, destino esse que não pode ser interrompido, sob pena do ser humano se perder do reto caminho. 

O Magistério da Igreja nos ensina que para o término vitorioso dos nossos dias, mister que permaneçamos na fé, perseverando em comunhão com o sacrifício de Cristo, o qual nos redime dos pecados, e nos reconduz a glória da vida eterna:

PERMANECEI EM MIM, que EU PERMANECEREI EM VÓS. (São João 16) ” “[…] aquele que PERSEVERAR ATÉ O FIM será salvo. (São Mateus 24, 13)”

“Meu pé seguiu os seus traços, GUARDEI O SEU CAMINHO SEM ME DESVIAR. (Jó 23, 11)” “Sendo que somos COOPERADORES com Ele, nós exortamos também para que vocês NÃO RECEBAM A GRAÇA DE DEUS EM VÃO. ” (II Coríntios 6,1-2) ”

Fé autêntica é aquela que perfaz na Divina revelação captada pelo intelecto, e aderida à ação humana movida pela vontade espontânea, para produzir efeitos concretos. É uma das virtudes teologais1 da qual depende a salvação ou ruína do indivíduo, sendo que para salvar-se, é necessário assentir na vontade de Deus, pela aceitação voluntária do seu verdadeiro Evangelho, revelado e pregado em seus efeitos práticos.

O papel da fé é nos unir a Deus por intermédio de Cristo, e assim, nos tornar partícipes da vida Eterna, como ensinou Tanquerey: 

“A fé une-nos a Deus, e NOS FAZ COMUNGAR no seu pensamento e na sua vida. (Compêndio de Teologia Mística e Ascética, p. 662. Cap. III. Das Virtudes Teologais) ”

Sua função é unitiva, pois nos permite a comunhão com o sacrifício do Cordeiro, e através deste santo holocausto, nos é permitido transcender até Deus. Além de unitiva, é também regenerativa, pois mediante a continuidade nessa comunhão com o Cordeiro, aderimos ao seu caráter e suas virtudes, as quais nos transformam para sermos purificados e santificados.

A fé é assim, a raiz de toda santidade:

“Porque nos tornamos PARTICIPANTES de Cristo, se RETIVERMOS FIRMEMENTE o princípio da nossa confiança ATÉ AO FIM. (Hebreus 3.14) ‘

A PERSEVERANÇA E A SALVAÇÃO

“Lembra-te pois do que tens recebido e ouvido, E GUARDA-O, E ARREPENDE-TE. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei. (Apocalipse 3.3) ”

Mesmo sendo puro Dom Divino,2 é na vontade livre do ser humano que Deus o atrai à sua Graça, movendo o indivíduo até Ele, que é o destino final de toda humanidade.

“Tomara eles fossem sábios, que isso entendessem e ATENTASSEM PARA O SEU FIM! (Deuteronômio 32.29) ”

No alinho entre a livre vontade humana que não deseja se desviar dos estatutos Divinos (Rm 7.18), e a ação Divina guardando aqueles que não desejam essa mudança fatal, é que reside em nós a chamada Graça operativa, em todos os seus efeitos eficientes: 

“Como guardaste a palavra da minha paciência, TAMBÉM EU TE GUARDAREI DA HORA DA TENTAÇÃO que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. (Apocalipse 3.10) ”

Mas no movimento entre o primeiro ato da Graça de Deus no ser humano, e o ato final que o levará ao juízo final agraciado pela remissão dos pecados, há de haver um VÍNCULO DE CONTINUIDADE, o fio de ouro4 que não pode ser rompido, sob risco do indivíduo se perder, ou se excluir do percurso. 

“Por isso, é necessário prestarmos a maior atenção à mensagem que temos recebido, para NÃO ACONTECER que nos DESVIEMOS DO CAMINHO RETO. (Hebreus 2, 1) ” “[…] castigo o meu corpo e o MANTENHO EM SERVIDÃO, de medo de vir eu mesmo a SER EXCLUÍDO depois de eu ter pregado aos outros. (I Coríntios 9, 27)

CONSERVANDO A FÉ, e a boa consciência, rejeitando a qual alguns fizeram NAUFRÁGIO NA FÉ. (I Timóteo 1.19)” “Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei: DA GRAÇA TENDES CAÍDO. (Gálatas 5.4)”

Porque o ser humano precisa manter-se no Caminho, é que lhe fora outorgada a comunhão com o sacrifício expiatório da Cruz, sendo que a fé o impulsiona, como combustível sobrenatural que o mantém, progressivamente, neste Caminho que é o próprio Deus:

“Eu sou o CAMINHO, e a Verdade, e a Vida, e ninguém vem ao Pai senão por Mim. ” (São João 14.6) ”

Aqueles, cuja fé seja tão débil ao ponto de não conseguirem se manter no caminho, não conseguirão atingir ao fim.

Temos dai então, o PECADO DA APOSTASIA, cuja natureza é desobediência agravada pelo discernimento entre o Bem e o mal, e por consequência, a escolha livre e consciente deste último:

Apostasia é negação pertinaz e consciente contra a fé recebida, aliada ao repúdio total a comunhão com Cristo, outrora adquirida: “Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ELE RETIRA; e todo que dá fruto, Ele limpa, para que dê mais fruto ainda. (São João 15.2) ”

“Se alguém NÃO PERMANECER EM MIM, será como o ramo que é jogado fora e seca. Então, esses ramos são juntados, lançados ao fogo e queimados. (São João 15.6) ”

A apostasia se distingue da incredulidade, posto ser esta, o pecado inerente aqueles que sempre se recusaram, voluntariamente, em  receber a fé, e que, portanto, jamais estiveram realmente em Comunhão com Cristo.

“Eles saíram do nosso meio, mas não eram dos nossos; pois se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco; o fato de terem nos abandonado revela que nenhum deles era realmente dos nossos. (I São João 2.19) ”

Mas a PERMANÊNCIA dos fiéis com CRISTO, implica necessidade dos BONS FRUTOS da obediência, e, principalmente, da CARIDADE, que é onde se cumpre o mandamento novo do AMOR AO PRÓXIMO da mesma maneira com que nos amamos: 

“O MACHADO já está posto à raiz das árvores, e toda árvore que não der bom fruto será CORTADA e JOGADA ao FOGO. ” (São Lucas 3.10) ” “[…] por isso, recomendou ao vinicultor: ‘Este é o terceiro ano que venho buscar os FRUTOS desta figueira e NÃO ACHO. Sendo assim, PODES CORTÁ-LA! Para que está ela ainda ocupando inutilmente a boa terra? (São Lucas 13.7) ” “Os nossos, de igual forma, aprendam a DEDICAR-SE ÀS BOAS OBRAS, a fim de que possam suprir todas as necessidades cotidianas e não sejam IMPRODUTIVOS. (Tito 3.14)”

É possível assim, pecar contra a fé recebida da infusão e dos dons do Espírito Santo, repudiando-na por completo, na negligência da obediência e caridade, apostatando-ser aos poucos do caminho, até a separação total que ocorrerá em algum momento, a persistir essa negligência.

Apostasion na língua grega originária das Escrituras (ἀποστασία), significa sair de situação anterior indo para outra diversa. 

É a deserção, o desvio ou exclusão de uma caminhada. 

Ora, a árvore para ser cortada há de estar antes ligada ao solo, assim como o fruto, que para ser podado, haverá de estar antes ligado aos galhos..

O apóstata é todo aquele que, outrora, encontrou a conversão, e usufruiu da comunhão com Cristo, mas em certa altura da vida, abdicou dela, vindo à perdê-la: 

“O Espírito diz expressamente que, nos tempos vindouros, alguns HÃO DE APOSTATAR DA FÉ, dando ouvidos a espíritos de embusteiros, e a doutrinas diabólicas. (I Timóteo 4.1)”

A morte corporal neste estado de separação ou apostasia, se transformará em grande chance de exclusão definitiva da salvação: 

“Se depois de termos recebido e conhecido a verdade, nós a ABANDONARMOS VOLUNTARIAMENTE, já não nos resta um sacrifício para expirar este pecado; só teremos que esperar um juízo tremendo e o fogo ardente que há de devorar os rebeldes” (Hebreus, 10. 26 e 27) ”

A apostasia é PECADO MORTAL, pois se trata de rejeição espontânea ao próprio Deus, sendo a manifestação que endurece os corações e alma, não dispondo-as a receber mais a Graça de Deus, sendo que em razão disso, a recuperação desse estado pecaminoso se reputa algo mais difícil que a primeira conversão: 

“Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes O ÚLTIMO ESTADO PIOR DO QUE O PRIMEIRO. (II São Pedro 2.20-22) ” 

“Vede que não rejeiteis ao que fala; porque, se não escaparam aqueles que rejeitaram o que na terra os advertia, MUITO MENOS NÓS, SE NOS DESVIARMOS DAQUELE QUE É DOS CÉUS. (Hebreus 12.25) ”

“Antes exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que NENHUM DE VÓS SE ENDUREÇA pelo engano do pecado; (Hebreus 3.13) ”

Ensina Santo Tomás de Aquino:

“A apostasia da fé SEPARA TOTALMENTE o homem de Deus, como se disse, o que não se dá com certos outros pecados. (Suma Teológica. Q 12 art. 1 e 2 Livro Iia e Iiae) ”

Resta claro que os pecados contra a fé, debilitam ou mortificam a própria fé em sua eficiência no mover o indivíduo a Deus como fim último. E dentre esses pecados gravíssimos, podemos elencar a heresia, a blasfêmia, o cisma, a infidelidade, e também a apostasia.

 ——————-

1 – Virtudes Teologais são os Dons Espirituais são os DONS DO ESPÍRITO SANTO mais importantes: FÉ, ESPERANÇA E CARIDADE. (I Cor 1. 13.13)

2 – Efésios 2.8. São Tomás de Aquino, in As Cinco Vias da Existência de Deus.

3 – O fio sagrado de ouro da razão humana em permanecer ligado ao que lhe transcende. Platão in Leis. PLATÃO. Leis, vol. XII-XIII.

4 – Se no entanto, o apóstata abandonar o estado de apostasia, e se voltar novamente para a fé verdade (CATÓLICA), não necessitará de novo Batismo, conforme orienta o Apóstolo em Hebreus 10: “Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, E caíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus e o expõem ao vitupério”. (Hebreus 6:4-6) A defesa de que era necessário novo Batismo ou Rebatizo foi uma heresia dos novacionistas.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial