SE DEUS NÃO PODE PECAR, SIGNIFICA QUE ELE NÃO PODE TODAS AS COISAS?

1 – Sendo Deus a suma perfeição1, é certo que Ele não pode pecar, do que se poderia concluir então, que Ele não teria o poder de fazer todas as coisas, não sendo, pois, onipotente.

2 – Além disso, pecar é atentar contra a vontade e a amizade de Deus,2 mas Deus não pode ser inimigo de si mesmo, razão porque Ele não poderia todas as coisas.

Mas em contrário, em todo universo não há limites para a atuação de Deus, como ensinou o próprio Cristo: “Jesus olhou para eles e disse: – Para o homem isso é impossível, mas PARA DEUS TODAS AS COISAS SÃO POSSÍVEIS.”3

SOLUÇÃO: Não é que Deus não possa pecar, mas sim, que o pecado em Deus, não pode, não tendo sobre Ele qualquer poder, e é por isso que nunca houve, e nunca haverá pecado em Deus. O pecado só nasce quando somos dominados ou nos deixamos dominar por coisas impróprias e ilícitas. Ora, estar sob o domínio de alguém ou algo é característica dos incompletos e inferiores, como os seres humanos, os quais necessitam buscar a felicidade para se tornarem completos, sendo que nessa busca são tentados a se deixarem escravizar por sentimentos e instintos destrutivos que os afastam da perfeição Divina, como a cobiça, o prazer desregrado ou a vingança. Todavia, Deus é perfeito, e num perfeito tudo é equilíbrio, nada lhe falta, nada lhe excede. E sendo um ser completo e superior, Ele é feliz em si mesmo, nada necessitando, não precisando se arriscar na busca do que já não tenha em si próprio, razão porque não pode vir a ser tentado e pecar numa eventual procura desenfreada daquilo que necessitaria externamente, pois já possui tudo que é bom, belo, Divino, eterno e útil em si mesmo, no que se responde as questões acima.

1 – Os seres imperfeitos não fazem obras perfeitas porque não querem, mas porque não podem. Já um ser perfeitíssimo, não faz obras imperfeitas porque não pode, mas porque não quer, e o querer no ser perfeito é sua vontade infalível, soberana e imutável.4 Quem pode o mais, pode o menos, mas quem só pode o menos jamais alcançará, por mérito próprio, aquilo que é superior. A perfeição do efeito depende da perfeição da causa. Assim, se nos pecadores, o pecado é o ato imperfeito no ser imperfeito; se nos santos, a beatitude é o ato perfeito naquele que se aperfeiçoa; a santidade impecável de Deus é o ATO PERFEITO no SER PERFEITO que é Criador de todas as coisas feitas perfeitas, o qual encerra em si todas as perfeições, e que domina sobre todas as coisas, não podendo ser dominado por nada, como ensinou o Doutor da Igreja.5 E se não pode vir à ser dominado, não pode ser tentado, não podendo sucumbir e vir à se escravizar no erro. Pecador é todo aquele que sofre a ação do pecado, onde circunstâncias externas e internas atuam corrompendo sua natureza (causa), e por consequência seus atos (efeitos). Mas sendo Deus imutável, é por consequência, incorruptível, e por não estar suscetível a ser dominado e corrompido por nada, nem por ninguém, o pecado não pode atingi-lo. Conclui-se que Deus não peca porque domina tudo, não sendo dominado por nada, ou seja, não peca por ser absolutamente onipotente.

2 – Detestar a si próprio é fruto da cobiça de amar, acima de tudo, aquilo que não se tem, ou não se é. Mas sendo Deus onipotente, possui sob o seu domínio todas as coisas, nada necessitando, e, portanto, nada cobiçando. Logo, Deus não pode detestar a si mesmo, porque possui em si todos os bens, infinitamente. Jesus fora tentado para provar ser Ele verdadeiramente Deus, o que Ele é. Também para que fosse infiel ao Pai em troca de todos os reinos e tesouros da terra, os quais já são seus. Por esta razão, disse Cristo ao tentador quanto a ação inútil em querer tentá-lo: “Vai-te. Não tentarás ao Senhor teu Deus.” (Mt 1. 1-11) 


1 “Pretendes sondar as profundezas divinas, atingir a perfeição do Todo-poderoso? (Jó 11, 7)”

2 “AQUINO. Santo Tomás. Suma Teológica. Q 71 Art. 6º Tratado sobre Vícios e Pecados.

3 Mt 19.26

4 “Deus faz tudo perfeito, e CUMPRE O QUE PROMETE. (Salmo 18. 30) PORQUE EU, o Senhor, NÃO MUDO. (Malaquias 3.6) “Porque EU SOU O QUE SOU.” (Êxodo 3. 14)

5 AQUINO. Santo Tomás. Tratado do Deus Uno. Q I. Art. 1, 2 e 3.

Seguir:
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial