A CONCEPÇÃO DE CRISTO UNIU O ESPÍRITO SANTO E UMA PECADORA?

 

1 – Muitos dos que protestam contra a Igreja, ensinam que em Cristo, Deus se tornou homem sem a participação de Maria, sua mãe.

2 – Além disso, acreditam que a concepção de Jesus seria obra exclusiva de Deus por meio do Espírito Santo, do que pouco importava se Maria tinha ou não a mácula do pecado.

3 – No mais, o Espírito Santo, que é Deus,[1] não pode ser atingido pelo pecado, razão porque, pouco importava se Maria estava ou não na condição de pecadora, quando o Espírito Divino desceu sobre ela[2] para lhe realizar o ato de conceber Cristo.

4 – Por fim, dizem que muitos pecadores receberam o Espírito Santo sem terem sido isentados totalmente do pecado,[3] do que se conclui que também Maria poderia tê-lo recebido em estado de mácula.

Mas em contrário, não seria digno aquele que veio para vencer o pecado nascer de uma pecadora, sendo o fruto do encontro entre Espírito, que é Santo, e uma mulher desprovida de santidade.

SOLUÇÃO: Há dois agentes na obra da concepção de Jesus, sendo que do agente ATIVO proveio sua Divindade e do PASSIVO sua humanidade. O agente ativo foi a Pessoa do Espírito Santo, que é Deus, e que para conceber e gerar Cristo, que também é Deus[4], unira-se à humanidade da Mulher, tomando dela o corpo e a carne sobre os quais atuaria. O agente ATIVO, o Espírito Santo, é o que semeou, sendo o agente PASSIVO, Maria, quem com o seu sim[5], permitiu sofrer a ação do semeador, de onde vem respostas as questões acima.

1 – Maria não recebeu em seu ventre Cristo já concebido, mas o concebeu junto com o Espírito Santo.[6] Assim, em Jesus, a natureza Divindade veio da parte do Santo Espírito, enquanto sua natureza humana veio da parte da Mãe. O Espírito semeou na carne da Virgem, colhendo por fruto o próprio Deus tornado homem:  “Eis que UMA VIRGEM CONCEBERÁ, e dará à luz a UM FILHO que se chamara Emanuel, que significa DEUS CONOSCO. ” (Mt 1. 23) Quem nasceu de Maria foi UM FILHO, e esse Filho É DEUS CONOSCO, Deus Encarnado Homem: “Eis que EM TEU VENTRE CONCEBERÁS e DARÁS À LUZ UM FILHO, e pôr-lhe ás o nome de JESUS. […] Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, pois não conheço homem? Respondeu o anjo: DESCERÁ SOBRE TI O ESPÍRITO SANTO, e a virtude do Altíssimo TE COBRIRÁ com a sua sombra; pelo que também o Santo, que DE TI HÁ DE NASCER, será chamado Filho de Deus. ” (Lc 1. 25, 34 e 36) Ora, ser mãe é conceber, gerar e dar a luz, não apenas emprestar o ventre, sendo que o parentesco de Cristo com os antigos patriarcas veio da sua filiação materna, conforme as Escrituras.[7]

2 – A humanidade de Cristo fora concebida, e imediatamente assumida por sua Divindade eterna, formando uma única Pessoa Divina com duas naturezas,[8] sendo homem e Deus simultaneamente, razão porque se diz de Cristo como Filho de Deus, e Filho do homem[9] por ter sido gerado na humanidade de sua mãe, não sendo, portanto, concebido exclusivamente pelo Espírito Santo. Ora, o anjo disse que o santo haveria de “nascer de Maria”, do que não se pode aceitar que o mais Santo dos santos nasceria da união entre luz e trevas, no encontro entre a santidade do Espírito e o pecado da mulher, respectivamente, pois “[…] quem do imundo tirará o puro? Ninguém![10] (Jó 14. 4) ”

3 – No ato da concepção do Deus feito homem, o Espírito Santo só agiu na mulher porque havia com ela afinidade, razão porque, teria a mulher que estar vivendo em estado de extraordinária pureza. Embora Deus não possa ser atingido pelo pecado, é certo que o pecado não lhe agrada, e com ele Deus não se une, nem se amiga de forma alguma[11], razão porque, se a virgem se unira ao Espírito Santo para juntos conceberem o mais Santo dos santos, por óbvio, que neste ato não poderia haver espaço para o pecado trazido por ela.

4 – Quem recebe missão maior, recebe graça maior.[12] O Espírito Santo descera sobre pecadores para que se arrependerem do pecado. Mas em Maria, que não tinha pecado, o Espírito descera para realizar nela um ato muito maior, que fora conceber o próprio Deus tornado homem, do qual vinha a salvação da humanidade, razão porque, o Espírito Divino descera sobre ela de modo mais intenso e pleno,[13] envolvendo-a numa comunhão completa.


 

[1]  Blasfêmia é um pecado imperdoável contra o Espirito Santo. Ora, só se blasfema contra DEUS, razão porque, não se pode duvidar que o Espírito Santo é uma Pessoa Divina.

[2] DESCERÁ SOBRE TI O ESPÍRITO SANTO, e a virtude do Altíssimo TE COBRIRÁ com a sua sombra; pelo que também o Santo, que DE TI HÁ DE NASCER,[2] será chamado Filho de Deus.” (São Lucas 1. 25, 34 e 36)

[3] “Apenas comecei a falar, quando desceu o Espírito Santo sobre eles, ” (Atos 11. 15)

[4] Lc 1, 35

[5] “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”. E o anjo afastou-se dela.” (Lc 1, 38)

[6] “[…] pelo que também o Santo, que DE TI HÁ DE NASCER (São Lucas 1. 36)

[7]  “dos patriarcas; DELES DESCENDE CRISTO, SEGUNDO A CARNE, o qual é, sobre todas as coisas, Deus bendito para sempre. Amém. (Romanos 9, 5)”

[8] Sobre a união das naturezas em Cristo formando uma ÚNICA Pessoa, ensinou Santo Tomás de Aquino: “[…] Sua natureza (humana) foi tão perfeitamente unida ao Verbo de Deus na unidade de Pessoa, que o Filho do homem foi o mesmo que o Filho de Deus. (Suma Teológica, Q 32, art. 1 Livro IIIa Do Verbo Encarnado) ”

[9] “Porque o FILHO DO HOMEM veio salvar o que se tinha perdido. ” (São Mateus. 18.11) “Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o FILHO DE DEUS não tem a vida. ” (I João 5, 12)

[10] Que união há entre Justiça e iniquidade? Luz e trevas? E que parte tem o Santo com o infiel? (II Coríntios 6, 14) Quem do imundo tirará o puro? Ninguém! (Jó 14.4)

[11] Qualquer amizade com o pecado é inimizade contra Deus. E Deus não é inimigo de si próprio para se amigar com uma pecadora sem isenta-la previamente de todo pecado: “[…] não sabeis que a amizade com o mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer um que quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus.” (São Tiago 4. 4)

[12] “O Senhor fez MARAVILHAS EM MIM, (Magnificat – Lc 1-46)

[13] “De longe me aparecia o Senhor: AMO-TE COM AMOR ETERNO, E POR ISSO A TI ESTENDI O MEU FAVOR. RECONSTRUIR-TE-EI, E SERÁS RESTAURADA, Ó VIRGEM DE ISRAEL! Virás, ornada de tamborins participar de alegres danças. (Jeremias 31. 3 e 4) Nota-se ainda, que o termo “descerá” no Evangelho de Lucas, no grego é epérxomai  uma forma mais intensa do termo  erxomai  que significa vir ou descer..

Seguir:
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial