AJOELHAR É SEMPRE PARA ADORAÇÃO? O QUE DIZEM OS TEXTOS SAGRADOS ?

Dulia é destinar a devoção, o respeito, a servidão e a honra, a tudo que não sendo Deus, provém, lembra ou significa algo de Deus. 

É reverência ao sagrado que vertemos para as coisas de Deus, não pelo que representam em sua substância ou matéria, mas porque nos remetem a Deus, como espelhos das suas virtudes.

No grego douleuo (δουλευω) significa servidão em sentido real ou figurado. 

Contextualizada no ato litúrgico ou civil, a dulia consiste num serviço ou ato de honra em relação a alguém hierarquicamente superior, como sacerdotes, os santos, os nossos pais, os patriarcas e profetas, ou mesmo uma mera saudação destinada ao objeto que represente ou simbolize a Divindade como as relíquias, artefatos, escritos ou símbolos sagrados, dentre outros.

Ora, o respeito e a veneração dirigia à Bíblia, não se dirige ao papel, e nem a tinta, mas a Revelação Divina nela contida. 

Do mesmo modo, a veneração à Cruz ou as imagens de Cristo não se dirigem à madeira, e nem ao gesso, mas à Pessoa e ao fato que elas retratam.

Não se reverencia o pedaço de pau, gesso ou papel os quais nada representam. (Isaías 44,19)

A devoção a ARCA DA ALIANÇA era típico culto de Dulia, sendo que Deus, em razão da importância dessa veneração, proibiu incrédulos e estrangeiros de dirigirem o olhar ao artefato, para não incorrerem em condenação. 

NÃO ENTRARÃO PARA OLHAR AS COISAS SANTAS, nem mesmo um só instante, PARA QUE NÃO MORRAM.” (Números 4. 20).”

“JOSUÉ rasgou suas vestes e PROSTROU-SE COM A FACE POR TERRA ATÉ A TARDE DIANTE DA ARCA DO SENHOR, tanto ele como os anciãos de Israel, e cobriram de pó as suas cabeças. “Ah, Senhor – clamou Josué – por que fizestes este povo passar o Jordão, para nos entregardes nas mãos dos amorreus que nos destruirão? Oxalá tivéssemos ficado do outro lado do rio!” (Josué 7. 6 e 7)

Além da Arca, a honra dada à memória dos mártires desde os cristãos primitivos, é um Culto de Dulia ordenado pelo próprio Deus: 

Lembrai-vos de VOSSOS GUIAS que vos pregaram a palavra de Deus. Considerai como souberam encerrar a carreira. E imitai-lhes a fé. (Hebreus 13, 7) 

GLORIA, HONRA E PAZ A TODO AQUELE QUE FAZ O BEM. (Romanos 2, 10)”

Mas esse ato de prostrar ou ajoelhar, seria sempre um ato destinado à adoração?

Temos que analisar que a adoração não está restrita no prostrar, mas na entrega dos nossos corpos a Deus em santificação, através do sinal da Comunhão com o sacrifício de Cristo (Romanos 12.1) que é a EUCARISTIA. (I Cor.10.18; Mt 26, 26 e Jo 6,66): 

Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a OFERECERDES VOSSOS CORPOS EM SACRIFÍCIO VIVO, SANTO, AGRADÁVEL A DEUS: é este o vosso CULTO RACIONAL. (Romanos 12, 1)” 

“[…] não ENTRAM EM COMUNHÃO com o ALTAR os que COMEM as vítimas? (I Coríntios 10, 18)” 

Tomai e comei, ISTO É O MEU CORPO. (São Mateus 26, 26)”

O prostrar para a Comunhão Eucarística se converte em adoração por estar inserido num âmbito maior, que é o reconhecimento do Deus Trino como Divindade Suprema, Absoluta, o qual se Comunica conosco pela fé no seu sacrifício salvífico exposto no Altar.

Todavia, como distinguir o prostrar como elemento integrando da adoração e a simples reverência litúrgica ou civil?

A resposta está na INTENÇÃO e FINALIDADE nas quais esse ato se realiza.

Sabemos que todo ato positivo, como manifestação expressa da vontade humana compõe-se do elemento interior (intenção, vontade, objetivo) e exterior ou  forma(conduta, gesto, postura).

A conduta de prostrar (forma) exige para configurar adoração, a consciência (animus adorare) de que está se dirigindo em oferta de Comunhão com o sacrifício do DEUS ÚNICO, TRINO, ONIPOTENTE, ONIPRESENTE, ONISCIENTE, Criador e Redentor de toda criação. (Rom. 12, 1; I Cor 10. 19; Mt 26. 26; Jo 6, 66) E assim se prostra para iniciar a liturgia de adoração, ofertando o sacrifício de Cristo, e por Cristo, e em Cristo, nos sinais do pão e vinho.

Noutro ângulo, embora possa ter a mesma forma, o ato de prostrar em reverência é ato realizado apenas com a finalidade de homenagear.  Não é executado para fins de exaltar a Divindade, mas expressar respeito, honraria e veneração pelas coisas pelas coisas sagradas (animus veneratio) de Deus.

Nas Escrituras, vimos grandes santos e heróis da fé se prostrando em veneração das relíquias (altar, arca, serpente de bronze) entidades místicas (anjos) ou pessoas (apóstolos, profetas e reis):

Pela tarde chegaram OS DOIS ANJOS A SODOMA. Lote, que estava assentado à porta da cidade, ao vê-los, levantou-se e FOI-LHES AO ENCONTRO E PROSTROU-SE COM O ROSTO POR TERRA. (Gênesis. 19, 1)”

ABRAÃO PROSTROU-SE DIANTE DO POVO DAQUELA TERRA. (Gênesis 23, 12)”

E ele (Jacó), passando adiante, PROSTROU-SE ATÉ A TERRA SETE VEZES ANTES DE SE APROXIMAR DE SEU IRMÃO. (Gênesis 33, 3)”

MOISÉS saiu ao encontro de seu sogro, PROSTROU-SE E BEIJOU-O. (Êxodo 18, 7)”

JOAB foi ter com o rei e contou-lhe tudo. Absalão foi chamado, ENTROU À PRESENTE DO REI E PROSTROU-SE DIANTE DELE COM O ROSTO POR TERRA, e o rei o beijou. (II Samuel 14, 33)”

Disseram ao rei: ESTÁ AÍ O PROFETA NATÃ. ELE ENTROU E PROSTROU-SE COM O ROSTO POR TERRA DIANTE DO REI. (I Reis 1, 23)” 

Há também no Novo Testamento a ocorrência de atos de veneração de joelhos protestados diante de um dos santos Apóstolos em companha de um dos seus discípulos:

Acordou o carcereiro e, vendo abertas as portas do cárcere, supôs que os presos haviam fugido. Tirou da espada e queria matar-se. Mas Paulo bradou em alta voz: Não te faças nenhum mal, pois estamos todos aqui. Então o carcereiro pediu luz, entrou e LANÇOU-SE TRÊMULO AOS PÉS DE PAULO E SILAS. (Atos dos Apóstolos, 4. 27, 28 e 29)”

As atitudes desses apóstolos, profetas, reis, neoconvertidos e patriarcas da fé, diferem da atitude de Cornélio para com São Pedro: 

Quando Pedro estava para entrar, Cornélio saiu a recebê-lo E PROSTROU AOS SEUS PÉS PARA ADORÁ-LO. (Atos dos Apóstolos 10, 25)” 

Também diferem drasticamente das atitudes dos hebreus ao caírem em apostasia:

 “Estas convidaram o povo aos AOS SACRIFÍCIOS DE SEUS DEUSES, e o povo comeu e PROSTROU-SE diante dos seus deuses. (Números 25.2)”

https://igrejamilitante.com.br/index.php/2019/07/30/o-que-distingue-o-culto-de-sacrificio-latria-culto-de-honra-dulia-e-a-idolatria/

Conclui-se, portanto, que todo aquele que ousa afirmar, que todo e qualquer ato de ajoelhar ou reverenciar implica no ato de “adorar”, desconhece completamente os texto sagrados sobre o tema, como também, desconhecem a própria natureza, forma e finalidade da verdadeira Adoração.

O QUE É ADORAÇÃO? O ATO DE ADORAR EM MATÉRIA, FORMA E FINALIDADE.

Seguir:
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial