O ESPÍRITO SANTO É DEUS PERSONIFICADO NO AMOR

Sentimentos nascem da percepção irregular e desordenada do acaso, sendo sensações momentâneas intensas, superficiais e inconstantes, e quase sempre desprovidos do fundamento racional.

Mas o Amor enquanto VIRTUDE não é sentimento, porque não provém da percepção, mas da escolha segura e consciente pelo Bem.

Não visa o ganho próprio, senão na renúncia, nem felicidade senão no Bem do ser amado. Não se desordena nas paixões, mas faz delas instrumento da sua bondade e alegria.

A Virtude do AMOR liga em perfeição não apenas, a relação entre as Três Pessoas da Santíssima Trindade, mas estas com as suas criaturas.

Não por outra razão é o ESPÍRITO SANTO, a Pessoa da figura do AMOR DIVINO PERSONIFICADO.

O ESPÍRITO SANTO é uma das três PESSOAS DIVINAS, distinta, mas unida as demais PESSOAS do PAI e do FILHO, tendo participado tanto da CRIAÇÃO de todas as coisas e principalmente do SER HUMANO, quanto do plano da SALVAÇÃO, tendo em sua essência a mesma substância1 Divina, ingênita e eterna do Pai e do Filho, expressa pelos Atributos da Onisciência, Onipresença e Onipotência, os quais são privativos da Divindade.

Certamente que quando o Pai criava todas as coisas, “[….] o seu Espírito Divino pairava sobre as águas.” (Gênesis 1.3)

E na criação do ser humano, se tem a virtude criacionista descrita no plural:

Então Deus disse: “FAÇAMOS O HOMEM à nossa imagem e semelhança. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos e sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que se arrastem sobre a terra. ” (Gênesis 1. 26) ”

O ESPÍRITO SANTO ME FEZ, e a inspiração do Todo Poderoso me deu vida. (Jó 33.4)” “Pelo SEU ESPÍRITO, ornou os Céus e a terra; a sua mão formou a serpente enroscadiça. (Jó 26.13)”

No plano da nossa salvação, atuou o Espírito Santo de maneira pessoal, especial e exclusiva, gerando o Verbo Encarnado, o qual seria nosso sacrifício de redenção eterna:

“Não temas receber Maria, tua Mulher, porque o nela está gerado É DO ESPÍRITO. (São Mateus 1. 20) ”

Sendo que o Filho procede intelectualmente do Pai, como a Imagem Perfeita que Ele tem de si próprio, o Espírito Santo procede tanto do Pai, quanto do Filho, por suas relações nocionais e pela vontade afetiva que um manifesta pelo outro, e vice-versa.

EXPLICANDO A SANTÍSSIMA TRINDADE NA TRADIÇÃO E NAS ESCRITURAS

Assim, se é lícito dizer que o Pai e o Filho se amam reciprocamente pelo Espírito Santo, é também lícito afirmar que o Espírito Santo é o próprio AMOR DE DEUS PERSONIFICADO, o Amor Divino em Pessoa:

O PAI AMA PELO ESPÍRITO SANTO, não só o FILHO, mas também a si mesmo. (Suma Teológica, art. 2º Q 37 L Ia, Santo Tomás de Aquino)

E sendo o AMOR DIVINO PERSONIFICADO, pelo Espírito Santo foi “[…] O AMOR DE DEUS derramado em nossos corações. (Romanos 5. 5) ”

Todas as graças que Cristo nos concede pelo sacrifício da cruz, só nos chegam dadas por Ele, o qual como Consolador2 também nos convence do pecado e do juízo de Deus: 

“[…] ele nos salvou mediante o batismo da regeneração e renovação PELO ESPÍRITO SANTO (Tito 3, 5)”

“[…] santificados PELO ESPÍRITO, para obedecer a Jesus Cristo E RECEBER A SUA PARTE DA ASPERSÃO DO SEU SANGUE. A graça e a paz vos sejam dadas em abundância. (I São Pedro 1, 2) ”

Mas vós, caríssimos, edificai-vos mutuamente sobre o fundamento da vossa santíssima fé. ORAI NO ESPÍRITO SANTO. (São Judas 1, 20) ”

O que define o ser como Pessoa é a capacidade da prática dos atos nocionais, e o que define o ser como Divindade, são os atributos da Onisciência, Onipresença e Onipotência. E o ESPÍRITO SANTO traz ínsito em si esses elementos, tal como o PAI e o FILHO.

Toda Pessoa é um indivíduo de essência racional.

Por esta essência da razão lhe é facultado interagir harmonicamente com outros seres racionais, e dessa relação intersubjetiva surgem os atos nocionais, os quais pressupõem manifestação de vontade autônoma, livre, consciente e personalíssima.

O ESPÍRITO SANTO interage conosco, fazendo-nos promessas: De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a PROMESSA DO ESPÍRITO SANTO, derramou isto que vós agora vedes e ouvis.” (Atos 2.33).

Entristecendo-se: E não entristeceis o ESPÍRITO SANTO de Deus. (Efésios 4.30) 

Partilhando a sua sabedoria e outros dons, testificando também Deus com eles, por meios de sinais, milagres, e várias maravilhas que Ele nos distribui por sua vontade (Hebreus 2.4), sendo também por Ele que nos é dada a Palavra de Sabedoria. (I Coríntios 12.8)

Pelo Espírito Santo, somos ainda santificados, “[…] segundo o ESPÍRITO DE SANTIFICAÇÃO. ” (Romanos 1.4) 

Ele nos a rezar, e intercedendo por todos nós: O ESPÍRITO ajuda a nossas fraquezas, porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o ESPÍRITO INTERCEDE POR NÓS com gemidos inexprimíveis. ” (Romanos 8.26)

Além disso, o ESPÍRITO SANTO ou AMOR DE DEUS são NOMES PRÓPRIOS, e nomes ou identidades não se outorgam, senão a indivíduos ativos, PESSOAS, no propósito de distingui-la das outras Pessoas de sua mesma Natureza. Por essa razão, também o Filho e o Pai têm nomes distintos, Emanuel (Mt 1.23) e Javé (Gn 15.8), respectivamente.

Por esse NOME também se expulsa demônios: “[…] se eu expulso os demônios PELO ESPÍRITO DE DEUS, é conseguintemente chegado a vós o Reino de Deus. ” (São Mateus 12, 28)

Há com toda certeza uma personalidade nominalmente identificada, tanto que Cristo ordenou o Batismo também em NOME DO ESPÍRITO SANTO: “[…] batizai-as em NOME DO PAI; DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO. (São Mateus 28.19) ”

No que diz respeito aos Atributos Divinos, pela Onisciência o Espírito Santo conhece a Deus e as coisas de Deus plenamente: “[…] também ninguém sabe as coisas de Deus, SENÃO O ESPÍRITO DE DEUS. ” (1 Coríntios 2, 11)

Só sendo Deus, para conhecer em plenitude as coisas Divinas.

Em sua Onipotência incumbiu-lhe ainda promessa da salvação, além de colaborar na economia sacramental, e gerar o salvador no ventre da Santíssima Virgem: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os EM NOME DO Pai, e do Filho, e do ESPÍRITO SANTO. ” (São Mateus 28.19)

Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Que estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter CONCEBIDO DO ESPÍRITO SANTO. (São Mateus 1.18) ”

O ESPÍRITO SANTO é um ente racional enquanto detentor da essência intelectual perfeita que o torna passível de ser honrado ou desonrado, e quando desonrado pelo pecado da BLASFÊMIA, é dito que ao pecador NÃO HAVERÁ PERDÃO:

Por isso, eu vos digo: todo pecado e toda blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não lhes será perdoada. (São Mateus 12, 31)

Ora, só se blasfema contra DEUS, razão porque, não se pode duvidar que o Espírito Santo é uma Pessoa Divina.

E por fim, é dito que o Espírito Santo é eterno.

A eternidade é pressuposto da Onipresença, pois só quem É e SERÁ desde sempre, poderá estar em todos os lugares simultaneamente:

Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o ESPÍRITO DE DEUS habita em vós? (I Coríntios 3, 16)”

O DEUS ETERNO TE SEJA POR HABITAÇÃO, e por baixo de ti estejam os braços eternos; e ele lance o inimigo de diante de ti e diga: Destrói-o.” (Deuteronômio 33.27)

Ensina Santo Atanásio:

“A fé Católica consiste adorar um só Deus em três Pessoas, e três Pessoas em um só Deus. Sem confundir as Pessoas, nem separar as substâncias. Porque aquele que não a professar, integral e inviolavelmente, perecerá sem dúvida, por toda eternidade. Quem quiser se salvar, deve antes de tudo professar a fé Católica. (In O Credo de Atanásio, Quicumque Vult, anos 296 a 373, art. I, II, II e IV)

————–

1S Substância, segundo Aristóteles, o elemento invisível no qual o ser é formado, sua essência e natureza, sem o qual, o ser não é. (Metafisica Livro I)

2 São João 14.16.

Seguir:
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial