EXPLICANDO A SANTÍSSIMA TRINDADE

Como procederiam da Pessoa Divina do Criador, outras Duas Pessoas Divinas UNITIVAS à Ele, sem divisão, nem confusão?

Ora, no princípio era DEUS, que criou Céus, terra e todas as coisas.” (Gênesis 1. 1)

Mas Deus que é ÚNICO, não estava só, pois no ato da criação, quando ainda edificava todas as coisas, e,

a terra era sem forma e vazia, o seu ESPÍRITO “pairava sobre as águas. (Gênesis 1. 2)

Mas o Deus Criador e o seu Espírito, unidos sem divisão ou confusão, também não estavam sós, porque,

no princípio era o VERBO, e o VERBO era Deus, e o VERBO estava em Deus (São João 1.1)” e “[…] tudo foi feito por Ele, e sem Ele nada teria sido feito1. (São João 1. 3)

Todavia, como procederiam da Pessoa Divina do Criador, outras Duas Pessoas Divinas UNITIVAS à Ele, sem divisão, nem confusão?

Ora, Deus Pai é a SABEDORIA Única existente, incriado e eterno, sendo ATO PURO, não havendo composição de matéria ou forma, razão pela qual, os seus Atributos são sua própria Essência:2EU SOU O QUE SOU.” (Êxodo 3, 14) “Sim, a sabedoria é um espírito que ama os homens, mas não deixará sem castigo o blasfemador pelo crime de seus lábios, porque Deus lhe sonda os rins, penetra até o fundo de seu coração, e ouve as suas palavras. (Sabedoria 1, 6)” Sendo a própria personificação da Sabedoria única existe, Deus só pode interagir em pé de igualdade, e por correlação em idêntico nível consigo mesmo, através do CONCEITO INTELECTUAL que Ele faz Dele próprio, o qual perfaz a sua IMAGEM INTELECTUAL: “A quem poderíeis comparar Deus, E QUE IMAGEM dele poderíeis oferecer? (Isaías 40, 18)”

Temos no conceito intelectual que Deus tem de si próprio, a PESSOA DO FILHO que é a “[…] IMAGEM DE DEUS INVISÍVEL (Colossenses 1, 15), tornada visível aos nossos olhos pela Encarnação do Verbo, pois como disse o Deus Filho: “Quem VÊ A MIM VÊ AO PAI, porque EU E O PAI SOMOS UM.” (São João 14. 7 e 10.30)

Ocorre que a IMAGEM que Deus Pai tem de si, é tão PERFEITA, AUTÊNTICA e FIEL À ELE, que nada lhe falta, pois como ensinou Santo Hilário3[…] a Imagem é a espécie que não difere do seu exemplar. O Filho é a imagem de Deus PAI, que Dele procede por PERFEIÇÃO, semelhança idêntica ou por identidade, e não por simples semelhança relativa.

Procedendo o Filho do Pai, como sua IMAGEM, não lhe cabe proceder de si mesmo, senão do seu Modelo e Exemplar, pois como ensinou Santo Agostinho: […] só o Filho pode ser Imagem do Pai.” (De Trinitate. Livro IV, cap. 2) Sendo esta IMAGEM DIVINA do Pai no Filho, a extensão PERFEITA e FIEL de DEUS, e não por mera SEMELHANÇA, mas por pura AUTENTICIDADE, nada lhe falta, nada lhe distingue, nada lhe diferencia do MODELO.  Consiste a IMAGEM, portanto, numa PESSOA DIVINA da mesma natureza e essência substancial do MODELO que é DEUS Pai Criador, pois como está escrito, o Filho é todo “[…] esplendor da Glória (de Deus) e IMAGEM DO SEU SER, sustenta o universo com o poder da sua Palavra. (Hebreus 1.3)

Ensina Santo Tomás de Aquino: “[…] a VERDADEIRA IMAGEM há de necessariamente proceder de Outro, o qual seja semelhante. (Suma Teológica, art. 1º Q 35, Livro Ia)

Mas sendo DEUS, ETERNO, tem Ele o CONCEITO INTELECTUAL Dele próprio DESDE SEMPRE. Portanto, é certo que DEUS tem uma IMAGEM de si desde toda eternidade, existindo assim, uma RELAÇÃO ETERNA E PESSOAL entre MODELO e IMAGEM, e vice-versa.

Só sendo PESSOA DIVINA, se pode ser IMAGEM FIEL de outra Pessoa Divina.

Diante disto, é correto afirmar que a Imagem FIEL e PERFEITA de Deus é sempre uma IDENTIDADE PESSOAL, pois PESSOA é também o DEUS CRIADOR, como no escólio de Santo Tomás: […] A IMAGEM É PESSOA.” (Suma Teológica, art. 1º Q 35, Livro Ia)

Se Deus CRIADOR tem de si, desde sempre, uma IMAGEM PERFEITA, também ama desde sempre esta IMAGEM porque DEUS É AMOR. (São João 1.4)

O Pai ama o Filho, porque ama a si mesmo, e é por AMOR que existe uma ligação profunda, íntima e definitiva entre as Pessoas Divinas do Modelo (PAI) e Imagem (FILHO).

A Perfeição e a Beleza AMA a si mesma, vez que se conhece, e como ensinou Santo Agostinho: “[…] a MENTE só pode AMAR a si mesma, porque se CONHECE.” (De Trinitate. LIVRO IX, 3.3) Ensinou ainda o Doutor da Graça: “[…] consequentemente, a MENTE, o AMOR e o seu CONHECIMENTO são três coisas; e estas três coisas, uma só, porque O QUE É PERFEITO É IGUAL.” (De Trinitate. LIVRO IX, 4.4)

O AMOR que enlaça o Modelo com sua Imagem  também  é ABSOLUTAMENTE  PERFEITO (I São João 4, 12),  a ponto de consistir noutra PESSOA DIVINA

Por isso, o ESPÍRITO SANTO é PERSONIFICAÇÃO do AMOR entre DEUS PAI e DEUS FILHO, expandindo-se à sua criação primaz que é o ser humano, porque “[…] O AMOR DE DEUS foi derramado em nossos corações PELO ESPÍRITO SANTO que nos foi dado. (Romanos 5. 5)”  “Foi Ele que nos informou DO AMOR COM QUE O ESPÍRITO VOS ANIMA. (Colossenses 1. 8)” O ESPÍRITO SANTO DE DEUS é assim, a manifestação PERSONIFICADA do AFETO AMOROSO do MODELO (DEUS PAI) por sua IMAGEM (DEUS FILHO), e assim reciprocamente: “O PAI AMA PELO ESPÍRITO SANTO, não só o FILHO, mas também a si mesmo. (Suma Teológica. Art. 2º Q 37, Livro Ia)”

Mas se a Imagem procede do Modelo, o ESPÍRITO SANTO procede tanto do Pai, quanto do Filho, haja vista, ser o Espírito Divina, amais pura MANIFESTAÇÃO UNITIVA e PESSOAL do afeto e dileção entre Pai e Filho, que são Modelo e Imagem, respectivamente. Uma manifestação expressa de Amor entre estes, no episódio do Batismo de Cristo, testemunhou visivelmente o ELO DE COMUNICAÇÃO AFETIVA entre os Entes Divinos, que é o ESPÍRITO SANTO: “[…] e o Espírito Santo DESCEU SOBRE ELE em forma corpórea, como uma POMBA; e VEIO DO CÉU UMA VOZ: Tu és o meu Filho BEM-AMADO; EM TI PONHO MINHA AFEIÇÃO. (São Lucas 3, 22)” “Minha POMBA, oculta nas fendas do rochedo,4 e nos abrigos das rochas escarpadas, mostra-me o teu rosto, FAZE-ME OUVIR A TUA VOZ. TUA VOZ É TÃO DOCE, e delicado teu rosto! (Cântico dos Cânticos 2, 14)”

O ESPÍRITO SANTO foi prefigurado justamente numa POMBA, justo por ser esse pássaro, na era primitiva, o instrumento de comunicação e troca de mensagens entre pontos distantes: “O ESPÍRITO SANTO se chama NEXO entre Pai e Filho, enquanto AMOR. Segundo sua origem, o ESPÍRITO SANTO não é meio, mas PESSOA DA TRINDADE” (Suma Teológica, Q 43, art. 1º Livro Ia)”

Somente uma Pessoa Divina pode estar à altura para ligar UNITIVA e AFETIVAMENTE duas outras Pessoas Divinas. E se imagem que Deus tem Dele é eterna como Ele, igualmente eterno é o AMOR que os interliga, sendo então, ETERNAS e INCRIADAS as Três Pessoas da Trindade, as quais, embora distintas, possuem IDÊNTICA ESSÊNCIA DIVINA, podendo se desligar sem separação, e unirem-se, sem confusão:  É forçoso admitir a igualdade entre as Pessoas Divinas. Ora, a multiplicação em Deus, não é senão, de sua ESSÊNCIA. (Suma Teológica. Q 42, art. 1 Livro Ia)”

—————–

1 Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gênesis 1:26). Imagem por semelhança, não IDÊNTICA ou por identidade, senão seriamos todos “deuses”.

2 Essência, na ótica filosófica, é o composto da substância que define a identidade do ser. É tudo aquilo que, sem o qual, o ser não o seria.

3 De Synod. Canon I.

4 Rochedo ou rocha é uma figura de Cristo no Antigo Testamento: “Meu Deus é a minha rocha, onde encontro o meu refúgio, meu escudo, força de minha salvação e minha cidadela. (Salmos 17, 3)”

Seguir:
error

Uma opinião sobre “EXPLICANDO A SANTÍSSIMA TRINDADE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial